sábado, 19 de janeiro de 2013

RESENHA - CINQUENTA TONS DE CINZA

CONTÊM SPOILERS 

(SINOPSE)


Quando a estudante de literatura Anastasia Steele entrevista o jovem bilionário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que o deseja e que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Christian admite que também a deseja - mas em seus próprios termos.


Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - e os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família - ele é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Ao embarcar num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.


(MINHA OPINIÃO)

O livro é romanceado, e como uma amante de histórias românticas, eu gostei. 


Mas o livro também deixou a desejar. Embora seja um livro grande, achei que a história aconteceu rápido demais, poderia ter levado mais tempo com detalhes sobre a conquista entre Grey e Ana, como surgiu o interesse, mais encontros e etc - detalhes que todo amante de romance gosta de saber.


Grey no início do livro demonstra ser um homem reversado, imparcial, dominador, que gosta de ter TUDO sobre controle, inclusive as mulheres. E com todas as que já passaram por sua vida (Ana é a 16º) ele exige um contrato assinado por ambos para que tudo o que aconteça no "Quarto Vermelho da Dor" (nome dado por Ana para o quarto "anormal") seja estritamente sigiloso e um outro com os limites, deveres e obrigações da submissa e do dominador (interessante).


Para um homem assim, tão dominador, ele quebrou regras demais com Ana tais como: não faz amor, só "fode"; não dorme na mesma cama que a mulher; não namora; não apresenta mulher alguma para sua família e muitas outras coisas que mais parte é intitulado por eles como: "mais uma primeira vez" (coisas que nunca fizeram antes).



Por se tratar de um livro de conteúdo adulto, achei a escrita um pouco infanto/juvenil, fácil demais. Poderia ter uma linguagem mais elaborada, rebuscada - embora isso possa


ser um "problema na tradução", pois eu não li o original. E também achei que há detalhes desnecessários, muitas descrições repetidas e se a escritora tivesse usado de menos detalhes como esses, poderia ter acrescentado informações mais convenientes ao contexto. Se você pular algumas (boas) linhas da história, mais a frente perceberá que não fez falta.




E que negócio é esse de "deusa interior"? Sinceramente, essa foi a parte mais chata para mim, irritante. Enche o saco mesmo ficar lendo os "desejos" e "opiniões" dessa "deusa". Até agora estou tentando entender que negócio é esse.


Dei duas estrelas para esse livro, porque ele não foi o que eu realmente esperava. Mas não dei uma apenas, porque seu lado romance me agradou.

Como sou daquelas que "começou, termina", pretendo ler os outros dois livros da trilogia.



RECOMENDO ESSES VÍDEOS-RESENHA SOBRE O LIVRO


Tati Feltrin do blog: http://frappuccinomochabranco.blogspot.com.br/ 

E eu concordo com a Tati que diz que depois de ler as primeiras vezes de sacanagem, as outras ficam ridículas. 





Ju Gervason do blog: http://www.obatomdeclarice.com/

A partir do minuto 11:20 ela começa a falar desse livro.


Concordo com ela sobre haver partes desnecessárias na história.





SOBRE A AUTORA - E. L. JAMES





Erika Leonard James, melhor conhecida pelo pseudônimo E.L. James é uma escritora britânica autora do bestseller erótico Cinquenta Tons de Cinza (Fifty Shades of Grey).Em 2012 foi considerada pela revista Time umas das 100 pessoas mais influentes do mundo.










Créditos a skoob: http://www.skoob.com.br/autor/8479-e-l-james


16 comentários:

  1. Uma outra coisa que também me dava vontade de abandonar o livro, era a quantidade de "Babys" que ele falava. Acredito que foi uma falha na tradução.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal saber disso. Os babys não me incomodaram não. Eu até que gostei.

      Agora se isso foi falha da tradução... não acrecito que seja, embora não tenha visto o original, mas penso que a escritora quis dar uma enfase no apelido carinhoso mesmo. Eu mesma chamo meu namorado de baby toda hora.

      ;)

      Excluir
  2. Concordo com você em gênero,número e grau. O livro pecou e muito em diversos aspectos. Por mim ele poderia ser mais enxuto, tinha partes que eram totalmente desnecessárias e me encheu bastante. Além da "deusa interior" o que mais me irritava era o Grey e sua obsessão de saber se ela já tinha comido. Cara, não sei quantas vezes ele perguntou isso pra ela, aff.

    E é nítido essa característica meio amadora na autora, não é a toa que foi baseada em uma fanfic de Crepúsculo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, poderia ter mencionado isso na resenha - sobre a obsessão de Grey saber se Ana já tinha comido. :p
      Até parece que se ele não ficasse falando, ela não perceberia a fome. kk

      ;)

      Excluir
  3. Eu também não sou uma fã do livro, acho que de onde ele veio (fanfics) tem milhares de estórias iguais e outras com qualidade mil vezes superior. Mas apesar de eu não gostar, eu acho que a autora tem o seu mérito, querendo ou não ela abriu o mercado editorial para romances eróticos, e eu acho isso extremamente válido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem razão, mas eu só não quero ler mais livros desse gênero.

      ;)

      Excluir
  4. Eu não me identifico com esse livro, acho que nem se me pagassem eu o leria, porque além de ter pessoas falando o tempo todo o que contem no livro, a historia não é algo interessante - pelo menos pra mim - porque eu já vi diversas historias iguais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois não perca seu tempo lendo esse livro.

      ;)

      Excluir
  5. Nunca tive vontade de ler esse livro, apesar de ver várias pessoas falando muito dele.
    Depois dessa resenha então, esse será um livro que não pretendo ler mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Pois não leia que é perda de tempo.

    ;)

    ResponderExcluir
  7. Não "embarquei" nessa onda de eróticos/hot. Sei lá, é um tipo de leitura que dispenso, não faz meu estilo literário, sabe?
    Ah, e é verdade, muitas vezes a tradução deixa um pouco a desejar em algumas palavras! hahaha

    ResponderExcluir
  8. Como eu disse na outra resenha, não gosto muito dessa serie e não tenho interesse em lê-la. Infelizmente o tema não desperta minha atenção.

    ResponderExcluir
  9. Eu realmente não consigo ler esses livros adultos que estão na moda... e vendo sua resenha fico tranquilo em saber q não perco muita coisa...

    ResponderExcluir
  10. Tambem nao curti muito o livro nao. Eu nem tive a curiosidade de ler os outros dois, me decepcionei demais! Quem sabe um dia eu retomo a leitura, mas acho dificil...

    ResponderExcluir
  11. Nunca me senti atraído por este livro, primeiro porque surgiu de uma fan-fic de crepúsculo, que (sem preconceito) não é uma das melhores séries da atualidade e não será.
    Acho a Anastasia uma personagem muito mal construída, assim como o Grey. a História é muito mal construída, na minha opinião. Não entendo como se pode ter 3 livros.
    Respeito quem gosta. Mas, não perderia meu tempo, lendo o resto.
    Gostei da Resenha, bem imparcial... e respeito a sua opinião, muito bem apresentada.

    Jônatas Amaral
    http://alma-critica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Jônatas, que bom que você gostou da resenha. Eu só li todos os livros, porque odeio deixar séries pela metade, mas é algo que não vou reler.

    ;)

    ResponderExcluir

Encontrou um erro de ortografia, concordância ou de digitação??? Avise-me a melhorar o blog..

;)