sábado, 19 de janeiro de 2013

RESENHA - OS PRIMEIROS DIAS


CONTÊM SPOILERS

(SINOPSE)

“Você pode estar se perguntando o que sou eu. Sou um parasita positivo. Tecnicamente, um peep, mas anda posso ouvir Kill Fee e Deathmatch, assistir ao pôr do sol ou botar molho de pimenta num ovo mexido sem gemer. Por alguma razão evolutiva, sou parcialmente imune, um dos sortudos ganhadores da loteria genética. Peeps como eu são mais raros que galinhas com dentes. Apenas uma em cada centena de vítimas torna-se mais forte e mais rápida, dotada de audição incrível e faro excelente, sem acabar enlouquecendo pelo anátema. Somos conhecidos como portadores, porque temos a doença sem desenvolver todos os sintomas. Temos, porém, um sintoma extra. A doença nos deixa excitados. O tempo todo.
Creio que nada disso me torna muito diferente da maioria de jovens de 19 anos. Exceto por um fato: se eu sigo meus instintos, minhas amantes azaradas transformam-se em monstros, como Sarah. E isso não é nada agradável de se assistir.”


 

(MINHA OPINIÃO)


Gostei desse livro porque ele trata do vampirismo de um jeito totalmente novo, não é nada comparado ao que tenho ouvido falar ou lido. O vampirismo é tratado como uma doença, um vírus que pode entrar no organismo da pessoa e viver lá por anos sem que a pessoa saiba que contraiu essa doença, pois em algumas pessoas ela nunca se manifestará – algo como ter AIDS e ser soro positivo. No livro a pessoa que tem esse vírus, mas não manifesta a doença é tratado de “parasita positivo” ou peep, que é o nome dado a essas pessoas.

A história gira em torno de Cal Thompson, portador dessa doença, recentemente contraída através do sexo. Ele então passa a fazer parte de uma antiga organização de caçadores de vampiros (aqueles que tiveram a “doença” desenvolvida) e ajuda a encontrar outros peep (pessoas que não sabem que possuem o “vírus” e que por desconhecerem o fato estão transmitindo a outros seres humanos).

Nessa busca por outros peeps, Cal começa também uma procura pela mulher que o transmitiu o vírus a fim de entender a sua “herança genética”. Nessa busca Cal descobriu muitas coisas por trás dessa organização, ficou conhecedor de novos meios de transmissão da doença e sobre criaturas que existem a muito mais tempo do que ele imaginava.
Um peep vive com uma excitação incontrolada e possuem alguns “poderes” como: visão noturna, olfato apurado, uma força sobre humana e uma boa velocidade. Uma coisa curiosa é que a doença pode ser transmitida até por um beijo, ou seja, um peep tem que viver em plena abstinência.

O livro tem um pouco de romance e o par romântico de Cal é a Lace, uma estudante de jornalismo bastante curiosa sobre a história de seu apartamento e que busca entender o porquê de seu aluguel ser tão mais barato em comparação com os demais do prédio.

Outra coisa que eu gostei muito é que entre um capítulo e outro, há capítulos contando fatos sobre diversos parasitas e como eles agem no organismo do animal em que se hospedam. E no final do livro o escritor dá uma confirmação na veracidade dessas informações. Eu gostei muito de conhecer um pouco mais sobre o mundo dos parasitas.

Dou 4 estrelas para esse livro, por que o final não foi como eu esperava e teve algumas partes do livro que eu fiquei confusa quanto as descrições. Mas mesmo assim, eu recomendo e leria de novo sem pestanejar.


 

SOBRE O AUTOR - SCOTT WESTERFELD




Scott Westerfeld (nascido em 5 de maio de 1963) é um autor norte-americanos de ficção científica. Ele nasceu no estado do Texas E.U. e agora divide seu tempo entre Sydney, na Austrália e Nova York, E.U.A.. Seu livro Evolution's Darling era um New York Times Notable Book (2000), e ganhou uma menção especial para o de 2000, Philip K. Dick Award.










Créditos skoob: http://www.skoob.com.br/autor/294-scott-westerfeld

10 comentários:

  1. Não conhecia esse livro do autor. Estou lendo a série Feios do autor e gostando bastante. Gostei da premissa do livro, já vi zumbis por vírus, mas vampiros é a primeira vez.
    Interessante essa pagina de parasitas, você não ficou um pouco paranoica? Depois que fiz parisotologia na faculdade vejo modos de contrair-los em todos os cantos rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siiiiiiiiiiiiiiiiiim, fiquei bastante paranoica. :p Mas já passou. Eu me lembrei da doença de Crohn que a ausência de bactérias no corpo (aprendi isso no livro) e aí eu relaxei.

      :D

      Excluir
  2. Ah que legal, gostei desse livro. Já tinha visto livros que se tornar vampiro é através de vírus, mas agora não me recordo o nome. Quero os livros da série Feios dele, acho que deve ser tão interessante quanto esse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estou interessada pela série Feios.


      ;)

      Excluir
  3. Oi, Adriane!!
    Confesso que não gostei muito do livro! :x Já não gosto de vampirismo e achei essa história um tanto estranha! hahaha Mas para os fãs do gênero acredito ser uma boa leitura, até porque muitos já devem conhecer o autor pela série Feios, então o interesse para conhecer outros livros do autor com certeza aumenta! ;)

    ResponderExcluir
  4. Nossa, eu também não gosto muito quando um livro não termina da maneira que eu queria, mas mesmo assim adorei sua resenha e espero ter a oportunidade de ler o livro!

    ResponderExcluir
  5. Conhei o autor pela série feios, mas nunca tinha ouvido falar sobre esse livro. vou baixar o pdf (se axar) e se gostar compro... =D

    ResponderExcluir
  6. Nossa, q diferente. Não é uma história que me atraiu muito, mas eu leria por ser um livro diferente.

    ResponderExcluir
  7. Sinceramente, não me achei o livro muito interessante.
    A Capa é muito maneira, mas o enredo em si não me chamou a atenção.
    Mas eu só digo se gosto ou não de um livro, depois de ter lido, por isso quando eu ler, Se eu ler é claro, terei uma opinião mais firme.
    Gostei da Resenha.


    Jônatas Amaral

    ResponderExcluir

Encontrou um erro de ortografia, concordância ou de digitação??? Avise-me a melhorar o blog..

;)